Select Menu

Sejam bem vindos!

IS Divulgações Musical

IS Divulgações Musical
Igor José
Em meio a turbulência a sua candidatura; ex-prefeito de São Sebastião de Lagoa de Roça, Ramalho Alves Bezerra, filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), entra com pedido de registro da coligação "A Mudança que o povo Quer" que tem como partidos políticos aliados, PSDB, PSD, PTdoB e PSB, Advogados da coligação entrou com o pedido de registro da candidatura a prefeito de Ramalho junto ao cartório eleitoral da comarca de Alagoa Nova, na zona eleitoral 13ª.




O ex-prefeito de Lagoa de Roça, Ramalho Alves (PSDB),  foi condenado em 2015 por improbidade administrativa pelo Tribunal Regional Federal da 5° Região de Recife (PE). Após ter sido notificado pela vara da TRF-5, os advogados de Ramalho Alves, entrou com um pedido de anulação do processo.




A situação de registro da candidatura a prefeito do ex-gestor de São Sebastião de Lagoa de Roça, Ramalho Alves, está agora sob-processo de Julgamento de candidatura, pelo cartório responsável pelo registro de candidaturas, caso o ex-prefeito seja julgado em inapto, cabe recurso no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB). 


O envolvimento do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e do governador Ricardo Coutinho (PSB) com as eleições municipais em João Pessoa, Capital da Paraíba, atravessou as divisas do Estado da Paraíba e ganhou repercussão na mídia nacional, nesta quarta-feira (17).

Uma reportagem do jornal ‘O Estado de S.Paulo’ traz a rivalidade entre os dois políticos da Paraíba. O embate entre Cássio e Ricardo Coutinho, editado em 2014, parece ter ganhado novo capítulo, agora em 2016, e deve perdurar até 2018.

Enquanto o socialista apoia a candidatura da professora Cida Ramos (PSB), o tucano defende a reeleição do prefeito Luciano Cartaxo (PSD).

Confira a matéria:

Em João Pessoa, eleição municipal reflete rivalidades na esfera estadual

A disputa à Prefeitura de João Pessoa, na Paraíba, tem como pano de fundo o embate entre o governador Ricardo Coutinho (PSB) e o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), derrotado por Coutinho na última eleição para o governo do Estado. Candidatos apoiados por ambos concorrem no pleito municipal este ano.


A candidata apoiada por Coutinho é a professora universitária e assistente social Cida Ramos (PSB). A candidatura de Cida conta com apoio de 17 partidos nanicos e pretende gastar o limite proposto pelo TSE nestas eleições: R$ 2,4 milhões.


Segundo a assessoria de imprensa da candidata, a campanha deve se focar no programa eleitoral de televisão, que será diário, e contará com a inserção dos vereadores. “Vamos apostar no guia como principal ferramenta e nas redes sociais, além do engajamento da militância que é forte”, disse Galvão.


Candidato à reeleição, o prefeito Luciano Cartaxo, que abandonou o PT e se filiou ao PSD, recebe apoio do tucano Cássio Cunha Lima e do PMDB com o deputado federal Manoel Júnior e o senador José Maranhão. A coligação é formada ainda por mais 12 partidos.


De acordo com Diego Tavares, que é um dos coordenadores da campanha de Cartaxo, o principal discurso da campanha será em torno da “história política de Cartaxo e a transformação que ele vem fazendo na capital”.


Tavares afirma também que o orçamento para gastos de campanha será definido após a liberação do CNPJ dos candidatos e as aberturas das contas. “A campanha começa com a militância nas ruas e a propaganda eleitoral que começa a ser difundida”, diz.

O segundo dia oficial da corrida eleitoral pela Prefeitura de João Pessoa será marcado por mais uma vasta agenda dos candidatos em João Pessoa. Com a exceção do atual prefeito e postulante à reeleição, Luciano Cartaxo (PSB), que não teve agenda de compromissos divulgada, os demais prefeitáveis programaram várias atividades de campanha na Capital.

Charliton Machado (PT), Cida Ramos (PSB) e Victor Hugo (PSOL) cumprirão uma série de compromissos durante esta quarta-feira (17).

Candidato do PT, Charliton Machado, programou para esta manhã, panfletagem no cruzamento da Av. Beira Rio com Rui Barbosa; e entrevista à Rádio Band News Manaíra. A tarde o petista tem Gravação para o Guia Eleitoral

A candidata socialista Cida Ramos, participa durante a manhã da Apresentação da fusão dos Programas de Governo PSB-PTB no Hotel Xênius - Avenida Cabo Branco.

A noite ela comanda Caminhada em Mangabeira (Cidade Verde)> As 20h ela participa da Plenária com o candidato a vereador Adauto Fernandes (PTB) no Top Bello Recepções em Mangabeira.


A Assessoria de Imprensa do candidato à reeleição não divulgou agenda de compromissos para esta quarta-feira.

Já Victor Hugo do PSL grava para o guia eleitoral e faz fotos para campanha durante a manhã. A tarde ele participa do Seminário Sindifisco no Sebrae sobre a Lei Orgânica de Administração Tributária e a noite tem reunião com coordenação de campanha.


 
A cera de um mês atrás a Justiça Federal condenou um  prefeito e 25 ex-prefeitos de municípios paraibanos foram condenados por improbidade administrativa. As condenações fazem parte das sentenças relacionadas ao terceiro lote da Meta 4 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em 2016. Ao todo, este lote teve 46 condenações na Paraíba, divulgadas nesta sexta-feira (8).
 


Entre os ex-prefeitos, houve condenações à prisão. Nesta lista, está o ex-prefeito de Alhandra, no Litoral Sul, Renato Mendes. Ele foi condenado a cinco anos e três meses no regime semiaberto, além da perda dos direitos políticos por três anos e multa de mais de R$ 33 mil. Por nota, Renato Mendes explicou que "assim como vemos na lista, há condenados anteriormente que foram inocentados agora". O ex-gestor diz que vai recorrer e apresentar os documentos que faltavam.
 
 

Na lista, também aparece o nome de Josival Júnior de Souza, conhecido com Jota Júnior, ex-prefeito de Bayeux, no Litoral, que foi condenado a quatro anos e seis meses de reclusão a ser iniciado no regime semiaberto. Atualmente, Jota Júnior passa por um tratamento na cidade de Fortaleza, Ceará, para se curar de um câncer de pulmão. O ex-secretário da mesma cidade, Isaelson Ramos de Oliveira, também foi condenado pela mesma pena. 
 


O ex-prefeito de Lagoa Seca, no Agreste, Edvardo Herculano de Lima, também foi condenado à prisão. A sentença prevê um ano de prisão em regime aberto, substituída por pena de prestação de serviços à comunidade. Ainda na decisão, que cabe recurso, ele foi condenado a cinco anos de inabilitação para o exercício de cargo ou função pública, sendo eletiva ou nomeação.
 
 

Edvardo Herculano, através de sua assessoria jurídica, informou que ainda não foi notificado e que vai recorrer da decisão do Tribunal de Justiça. "Em tempo hábil vamos apresentar vasta documentação que comprovam nossa inocência", informou o ex-gestor.
 


A ex-prefeita de Campina Grande, Cozete Barbosa, que administrou a cidade entre os anos de 2002 e 2004, também está na lista de condenados. O G1 conversou com o advogado da ex-prefeita, Bruno Veloso, que informou que a defesa dela não foi notificada. O nome de Cozete Barbosa já apareceu nos lotes da Meta 4 em novembro e dezembro de 2015 e na lista lançada  em maio de 2016. Desta vez, a ex-prefeita teve os direitos políticos suspensos, condenada a pagar multa de R$ 20 mil, além da proibição de contratar com poder público por cinco anos. A decisão cabe recurso.
 


Ainda estão na lista do TJPB o atual prefeito de Lagoa, no Sertão paraibano, Magno Demys de Oliveira, por improbidade administrativa. O gestor foi condenado a ressarcir integralmente o dano de R$ 635.290,73, a perda dos bens conseguidos de forma ilícita, perda de função pública, além de suspensão dos direitos políticos e proibição de contratar com o poder público. O G1 entrou em contato com a prefeitura de Lagoa, mas até as 11h10 as ligações não foram atendidas.
 

Neste terceiro lote da Meta 4, a justiça condenou ex-secretários municipais, diretores de escolas, policiais militares e agentes penitenciários. Na lista, também estão 46 gestores e ex-gestores que foram  absolvidos.
O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e o Partido Democrático Trabalhista (PDT) confirma aliança partidária durante convenção municipal que oficializou o jovem vereador candidato a prefeito Diego do Veleiro e confirmou o nome do jovem advogado Dr. Carneiro.



A convenção municipal do PMDB e PDT foi realizado no Ginásio de Esporte, no bairro Monte-Alegre em Lagoa Seca, o evento contou com a presença de mais de 3 mil pessoas, durante a convenção o ex-prefeito Dr. Gilvando Carneiro Leal, agradeceu o carinho da população com seu filho que é candidato a vice-prefeito na chapa ao lado do "Menino do Veleiro", o jovem candidato a prefeito Diego do Veleiro.



A chapa majoritária, que tem como candidato a prefeito de Lagoa Seca,  Diego do Veleiro (PMDB), filho do ex-vice-prefeito e atualmente empresário Fernando do Veleiro, e que tem como candidato a vice-prefeito o jovem advogado Dr. Carneiro (PDT), representa uma chapa de jovens que realmente tem a "Ficha Limpa".



Em um discurso de apenas 40 minutos, o ex-prefeito Dr. Gilvando Carneiro, um dos melhores prefeitos que a cidade já teve, falou bastante emocionado, ao ver o seu sangue politico, retornar ás origens, que é ver seu filho Dr. Carneiro, concorrer a prefeitura de Lagoa Seca, ao lado do jovem Diego do Veleiro, no seu discurso, Dr. Gilvando Carneiro, falou da importância que é foi a construção de mais de 12 poços artesianos, a construção do Campo municipal, e fora barragens construídas em seu governo.



A convenção municipal do PMDB, teve a confirmação do apoio do: PTB, PSB, PDT, PRTB, PRP, e PT, foram lançado mais de 20 candidatos a vereadores, durante o evento, o deputado federal Dr. Damião Feliciano (PDT), também esteve no loca.


Uma verdadeira multidão tomou de conta da convenção, a cidade toda parou para ver o lançamento oficial do "Menino do Veleiro" ser confirmado como candidato a prefeito, o jovem vereador, que desde sedo começou ajudar seu pai, na verdura, e mais tardar, abriu seu próprio negocio, no ramo de Material de Construção, Diego do Veleiro (PMDB), agradeceu a população Lagoasequesens, pelo carinho e pelo apoio que vem recebendo diariamente.








O PEN, na noite desta sexta-feira (5), oficializou a candidatura de Walter Brito Neto à Prefeitura de Campina Grande. O candidato a vice-prefeito na chapa será Marcelo Arruda, que também é do PEN, formando uma chapa "puro sangue". O anúncio foi feito durante a convenção municipal do PEN na sede do partido em Campina Grande, no bairro da Prata.

Com o slogan "A Força da Mudança", a campanha do PEN não tem coligação com nenhum outro partido. Durante a convenção, também foram homologadas as candidaturas de duas mulheres para disputarem vaga no legislativo municipal.

“"Nós temos a sustentabilidade como uma das principais metas. Teremos um plano de desenvolvimento sustentável que contemple os recursos hídricos e a proteção do meio ambiente”, disse Walter Brito Neto, candidato a prefeito pelo PEN.

Em Campina Grande, além de Walter Brito Neto (PEN), foram oficializadas as candidaturas de Romero Rodrigues (PSDB), Veneziano Vital do Rego (PMDB), Adriano Galdino (PSB), Artur Bolinha (PPS) e David Lobão (PSOL).
O presidente municipal do PTN, Tiago Bernardino, confirmou nesta quinta-feira (4), que o diretório local do partido decidiu apoiar o projeto de reeleição de Luciano Cartaxo (PSD) a prefeito de João Pessoa, Capital da Paraíba.


Segundo o presidente, a decisão foi sacramentada pelos filiados, após a desistência do deputado Wilson Filho, que tinha o apoio do PTN para a disputa pela Prefeitura Municipal, mas resolveu ser vice de Cida Ramos. Com isso, a legenda decidiu, por maioria, apoiar o atual prefeito. Ainda de acordo com Tiago, a decisão será tranquilamente acatada pela direção estadual, uma vez que é prática da presidência do partido respeitar as decisões dos seus diretórios municipais por serem formados por pessoas que conhecem de perto as respectivas realidades locais.



O presidente estadual do PTN, deputado Janduhy Carneiro, no entanto, deve declarar apoio ao nome do candidato Victor Hugo (PSOL) para prefeito de João Pessoa. A expectativa é a de que a declaração seja dada já nos próximos dias.



“A executiva estadual do PTN não interfere nas decisões municipais, esse é o diferencial da legenda. O que for decidido por quem conhece a realidade local está decidido. Os dirigentes estaduais são apenas comunicados das decisões. É prática do PTN primar pelas decisões colegiadas, portanto, também respeitamos a possibilidade do presidente estadual Janduhy Carneiro apoiar ao PSOL de Victor Hugo”, afirmou Bernardino.
Depois de mais de 30 anos, ex-prefeitos de Lagoa Seca, no Agreste Paraibano, Dr. Edvardo Herculano de Lima (PSDB)  e Bola Coutinho (PTdoB), resolvem fazer ás pazes em se unir em torno do nome de Fábio Ramalho (PSDB) e Dalva Lucena (PSD). 



Os ex-gestores público de Lagoa Seca, Edvardo Herculano de Lima, governou este município em 1992, e depois de 16 anos, foi novamente prefeito em 2005 e em 2008 a 2012,  já o ex-prefeito Bola Coutinho foi prefeito por mais de 16 anos.


A população de Lagoa Seca, hoje tem pouco mais de 20 mil eleitores, quando Edvardo e Bola eram candidatos a prefeito em palanques oposto, Edvardo obteve 7 mil votos, validos, e Bola, 5 mil votos, validos. A única duvida que resta é, de fato, será que Edvardo Herculano e Bola Coutinho fizeram ás pazes mesmo?.






Durante convenção municipal  da homologação da candidatura a prefeito de Fábio Ramalho, e de sua candidata a vice-prefeita  Dalva  Lucena (PSD) em Lagoa Seca, coordenação erra ao anunciar adesão de partidos políticos que formaria coligação ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

O Partido Solidariedade (SD), e o  Partido Republicano da Ordem Social (PROS), não estão aptos e muito menos fundados na cartório eleitoral da 71ª zona eleitoral de Lagoa Seca.



Ontem (31), a coordenação eleitoral da candidatura a prefeito de Fábio Ramalho, teria divulgado durante a convenção municipal, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) a suposta coligação partidária do SD e do PROS ao projeto político de oposição, que tem como candidatos na majoritária Fábio e Dalva. A convenção partidária do grupo político da oposição aconteceu na tarde de ontem, na Escola Estadual Francisca Martiniano da Rocha. 


Erro: Adesão que não existe,  o grupo político de oposição, do candidato a prefeito Fábio Ramalho (PSDB), erra ao divulgar apoio de siglas que não existe em Lagoa Seca,a exemplo do  Partido Repúblicano da ordem Social (PROS) e/o Partido da Solidariedade (SD).  O PSDB perde automaticamente o apoio deste dois partidos políticos, somando ao total o PSDB/PSD tem apenas o apoio do: PP, PSC, PSC, PSL, PPS, DEM, PTdoB.


Luzia revela: Olívia não é filha de Santo  
Luzia (Lucy Alves) não aguentará ver Olívia (Giullia Buscacio) sofrendo por conta do desaparecimento de Santo (Domingos Montagner) e do amor que sente pelo suposto irmão, Miguel (Gabriel Leone), em Velho Chico. Ela se sentirá culpada por tudo de ruim que acontece à sua família. Ao ver a filha mais velha chorar em seu colo e afirmar que sua vida será só de trevas por amar o irmão como homem, a dona de casa decidirá contar que ela não é filha de Santo. Porém, o capítulo terminará aí, e algo pode atrapalhar sua confissão.


Essa é a última sequência do capítulo previsto para ir ao ar dia 13. Durante quase duas semanas, os autores vão manter o agricultor ferido e desaparecido. Ele será dado como morto. Serão dias de sofrimento para todos que amam Santo. Olívia será uma das pessoas que ficará mais perturbada com a perda do pai. Seu sofrimento ficará ainda mais latente quando Miguel afirmar que a ama.


"Nunca amei nada nessa vida como eu amo você, Olívia. E eu prefiro viver sozinho até o fim de minha vida, do que ter que viver sem você", afirmará o agrônomo. Depois de falar isso, ele sairá para espairecer, deixando Olívia desesperada.


Luzia estará em seu quarto imersa na dor pela possível morte de Santo quando a filha a procurará. Depois que o agricultor sofrer um atentado, as duas se aproximarão. Primeiro, Luzia vai querer sumir também. Após uma conversa com padre Benício (Carlos Vereza), ela entenderá que precisa ficar ao lado das filhas para que todos não morram junto com o presidente da cooperativa.


Quase sem forças, Olívia correrá para os braços da mãe e a abraçará. O roteiro indica que a atriz Lucy Alves deve embalar em seu colo Giullia Buscacio como se faz com uma criança. "Eu não vou saber viver sem ele, mainha. Eu não consigo mais viver sem Miguel! Eu não consigo! Eu não consigo", gritará a menina, soluçando e chorando sem parar.


Luzia fechará os olhos, sentindo a dor da filha lhe rasgar a alma, e se arrependerá de mentir a vida inteira. "Faz isso parar, mãe, pelo amor de Deus, faz isso parar de doer. Eu não aguento mais", suplicará a jovem. "Todas as mentiras que contou um dia pulsam em sua garganta de uma só vez e Luzia sente a verdade querer romper de dentro do seu peito", indica o roteiro escrito pelos autores Benedito Ruy Barbosa e Bruno Luperi.


"Vai parar, Olívia. Vai parar", afirmará a dona de casa. "Não vai. Não vai parar de doer nunca", dirá a garota. "Mainha vai fazer isso parar de doer, filha, mas você não vai me perdoar nunca por isso", vai disparar Luzia, olhando nos olhos da filha. A cena será cortada, e a continuação só será exibida no dia 15 na novela das nove.